28 agosto 2016

CINCO DICAS PRA ANIMAR E INSPIRAR O DOMINGO



01. An African City
Esses dias deu no Estadão que a série An African City produzida em Gana, inspirada no seriado americano Sex and the city, vai entrar em breve no NetFlix e... gente, como eu estou loucaaaa pra ver! A série já está em sua segunda temporada e mostra muito mais que a vida de mulheres ricas e fãs de grifes de Gana, país localizado na África, continente muito retratado pela guerra e pela pobreza. Mostra uma realidade além do esteriótipo pintado sobre um continente vasto e rico que muitos de nós entendemos como algo simples e homogêneo (já parou pra pensar em como você fala na África como se fosse uma coisa só, como se fosse uma cidade, um país... pobre e pronto?). Mostra a mulher africana como também pode ser - livre, sexualizada e poderosa! E claro, quantas referências ricas de estilo reunidas num único programa !


Por enquanto, pra ver a série, só por aqui.


02. Esosa E
E falando em referências de estilo, eu ando buscando novas inspirações e encontrei Esosa E, atriz nigeriana que interpreta Ngozi, uma das personagens de An African City. Cores, estampas, acessórios de um jeito lindo, autêntico e chique. Quero um pouquinho disso pro meu estilo. @officialesosae no IG



03. Estaremos lá com a consulesa
Quatro amigas juntas contaram uma situação de racismo que uma delas passou num Shopping de São Paulo. De uma maneira leve e divertida, escancararam e colocaram a senhorinha racista no lugar dela.  Adoro! E conquistaram não apenas a mim, mas também a Consulesa Alexandra Loras.


Se você ainda não viu o primeiro vídeo, é só clicar aqui.

E, mais uma coisinha, "Estaremos lá"!

04. Guarda-roupa eficiente


Faz um tempo que eu me vejo num dilema: ser louca por moda e querer consumir cada vez menos. E descobrindo aos poucos que equilibrar essa conta pode ser mais fácil do que se imagina. Quero um guarda-roupa mais enxuto, mais prático, com peças que conversem bem entre si. Pra isso, tenho me empenhado de verdade para entender o meu estilo. Separar o que eu realmente gosto de usar do que eu acho bonito, mas não tem muuuuito a ver comigo, sabe?! Quando a gente entende isso, o risco de comprar uma peça e deixá-la no limbo do closet condenada a nunca sair de lá diminui muito. E esse review de estilo começa lá mesmo: no nosso armário. A palavra é desapego. Oh coisinha difícil, porém necessária. Encontrei no blog Teoria Criativa um post muito bacana sobre "Cinco coisas que você não precisa ter no seu guarda-roupa". Vale o clique e o empenho pra colocar em prática.

05. Série da vez: Stranger Things
Sou aquele tipo cagona que tapa os olhos ao ver um trailer de filme de terror, mas a partir de agora dedico o meu domingo a começar a ver esta série de medinho. Apenas observando uma pessoa com dificuldades para dormir esta noite. Ahahahaha! Fiquei curiosa para ver depois de uma conversa ontem com uma turma de amigos: eles disseram que é viciante. E o Geekness listou cinco motivos para assistir a série que me convenceram.
Stranger Things conta a história da busca por um menino desaparecido misteriosamente na cidade americana de Hawkins, no estado de Indiana, com climinha nostálgico causado pelas diversas referências à cultura dos anos 1980. A moda nesta década combina bem com esse mood de medo, né?! E li por aí que Winona Ryder está arrasando na série. Alguém já viu? Quero saber o que estão achando. Semana que vem conto se morri de medo.



25 agosto 2016

MEU LOOK: FLORAL COM CAIPIRINHA


Isso não é um look do dia,
é praticamente um apelo:
Vai embora, inverno! Pode deixar o floral
da primavera chegar
que eu vou preparando
a Caipirinha pra esperar o Verão.






T-Shirt Canal | Saia Farm | Bolsa Melissa
Tudo na Strelitza

A Strelitza é parceira do blog

24 agosto 2016

A bolsa do preconceito



A bolsa era horrível, confesso. Grande, achou pouco ter estampa de zebra e ainda é nas cores pink e preto. Mas fazer o que se ela suporta uma quantidade de peso absurda. Pode ser feia, mas as costuras, meu amor, reforçadíssimas. Porém, com ela, descobri uma nova forma de preconceito: o preconceito-contra-pessoas-preocupadas-com-o-meio-ambiente. Entrei no supermercado e, assim que virei num dos corredores, já percebi um segurança dando aquelas voltinhas disfarçadas. Pensei: "Não é possível, ele também é negro, eu poderia ser sua filha" (claro que sim, porque eu já passei dos 30, mas na aparência fico nos 23 fácil ahahahaha!). Continuei pelo supermercado e, a cada corredor, lá estava ele. Pensei em arrumar confusão, perguntar se havia algum problema. Deixei pra lá. Paguei minhas compras, avisei pra moça que não precisava de sacolas de plástico, levaria minhas compras naquela bolsa (a horrível, porém capaz de suportar todo o peso dos meus produtos numa boa). Fui triste pra casa, achei que acabara de ter passado por uma situação de racismo. Estava enganada. Fui novamente ao supermercado, dessa vez, tinha esquecido a bolsa horrível que sempre deixo no carro e a carrego vazia pra levar minhas compras e assim evitar colocar no mundo mais sacolas de plástico. Passei pelo mesmo segurança e pensei: lá vem ele, vai me seguir novamente. Mas não. Dessa vez, na sua visão, eu era uma pessoa confiável. Dias depois, meu marido chega em casa se torcendo de rir. "Você acredita que o segurança da supermercado me seguiu o tempo inteiro"? O que tínhamos em comum? Sim, a sacola! O problema era ter uma sacola vazia a tira colo. Claro que era pra roubar! Nem passou pela cabeça da criatura que aquilo serviria para carregar as compras - depois de pagas, obviamente. Iniciando mais uma campanha: "Não vou te roubar, apenas ando preocupada com o meio ambiente".