29 janeiro 2016

SETE MOTIVOS PARA PERDOAR UM ATRASADO CRÔNICO

É, eu tenho um dom. O dom do atraso. Não pense que eu não me esforço. Não pense que eu não me planejo. Eu faço tudo certinho e, quando vejo, já estou atrasada 10 minutos. E numa reflexão profunda entendi que nós, atrasados crônicos, somos seres que precisam de apoio e compreensão. Veja o porquê:

1. Falta de habilidade com a matemática dos relógios
Um atrasado crônico tem a deficiência de prever quanto tempo leva cada atividade que precisa fazer antes de sair de casa. Essa soma simplesmente não bate na sua mente deficiente. Quer um exemplo? Então, tá! Digamos que eu tenha combinado de sair pra jantar as 21:00. Eu sei que levo uns 10 minutos no banho; mais uns 10 minutos para arrumar o cabelo; se quiser caprichar no make, vou levar mais ou menos 30 minutos; pra escolher a roupa, se estiver num dia criativo, vou conseguir em 15 minutos. Então, calculando agora, eu sei que vou precisar começar a me arrumar umas 19:50 se quiser que tudo dê certo. Considerando que o restaurante é vizinho à minha casa. Mas eu só consigo fazer esse raciocínio agora, que não tenho compromisso algum. No dia do jantar, provavelmente vou estar trabalhando em alguma coisa, ou lendo outra, olhando no relógio de relance e pensando "estou em tempo! estou em tempo!". E, quando eu perceber, os ponteiros deram um pulo inusitado, e já falta meia hora pro jantar. Lá vai tudo começar mais uma vez... Carreiraaaa!

2. Atrasados atraem pontuais
E o problema é que o atrasado crônico só atrai gente pontual. Se fosse todo mundo atrasado, não iria ter problema algum. Ou o problema seria maior? Nem sei! O que eu sei é que a "gente pontual" é cheia de cobranças e sempre acha que o atrasado não sofre com o próprio atraso. Se você é o pontual de um atrasado, reflita sobre isso com amor e carinho. Abra sua mente! :P

3. O atrasado crônico sofre
Não é do amigo desleixado que não se importa mesmo com o horário que eu estou falando aqui. Estou falando dessas pessoas que têm um probleminha com o tempo como eu. E existe uma linha fina que divide essas pessoas. O atrasado crônico sofre. Dia desses refletia sobre isso enquanto ia para o meu treino funcional (onde chego sempre 5 minutos atrasada. Desculpa, Dudu!). O que me separa do tempo perfeito são cinco minutos. E aí eu parei pra pensar: Eu não consigo controlar cinco minutos da minha vida. Cinco minutos! Lembrei de uma cena do filme "Não por acaso" (2007, de Philippe Barcinski). Na cena, o personagem interpretado por Rodrigo Santoro reflete sobre o tempo depois de perder a namorada num acidente. Ops, contei! Foco na reflexão aqui: Antes de ela sair de casa e sofrer o acidente, ele pede "só mais um beijo". E eles falam algo como "dois segundos não vão mudar nada". E, depois do acidente, ele imagina se, por acaso, ela não tivesse voltado para mais um beijo, se ela teria passado ilesa pelo acontecimento e continuaria viva. As cenas se sobrepõe. E é profundo! Sobre o filme, não lembro mais nada além disso. Netfliiiix!!! Mas essa cena marcou a minha mente de atrasada crônica, porque sempre me pego imaginando quantas coisas diferentes eu teria vivido se me focasse mais às exigências do meu relógio. A louca. Abafa!




4. Sem justificativa
E mais um drama: mesmo com todo esse sofrimento, não adianta se desculpar. Ninguém vai querer saber sobre a complexidade que um atrasado crônico carrega em seu ser. Não adianta culpar o trânsito, a dificuldade de estacionar, a chuva, o tempo, o mundo! Não é isso! Não tem desculpas, porque se seu coleguinha chegou no horário, nada vai lhe dar algum crédito por não ter chegado. E lá vai o atrasado crônico pensando num jeito simpático de se desculpar pelo atraso, passando em mente mil vezes o que vai dizer, mas quando olha nos olhos de quem lhe espera, perde toda a coragem e, quando fala alguma coisa, diz rápido e baixinho "Desculpa o atraso!" e senta lançando um sorriso tímido. Pronto, sem justificativa. Sem poder dividir mais uma derrota contra o tempo. Mais uma frustração. Mais um drama existencial.

5. O Atrasado crônico vive traçando planos para não mais se atrasar 
Sabe a matemática dos relógios? Então! Depois de situações como essas, o atrasado crônico começa a fazer um super esforço para atender a essa lógica que não lhe é orgânica. Vez ou outra ele consegue e a alegria é sem fim, maaaas...

6. O acaso da desmotivação 
... Sempre que um atrasado crônico chega na hora, o pontual se atrasa. E aí ele pensa: de que valeu tanto esforço? Ele não tem crédito para lançar aquele olhar julgador ao pontual que atrasou uma vez na vida, porque, né... vai ser cara de pau. E o pior: muitas vezes, quando o atrasado crônico chega na hora gera uma situação constrangedora. E o acaso desmotiva o atrasado.

7. O charme do atraso
E ele desapega um pouquinho da matemática dos relógios. Ah! Vá... às vezes tem um charme no atraso.

Algum atrasado crônico por aí? Marque o pontual da sua vida e chame pra reflexão.

0 comentários:

Postar um comentário

Quero saber o que você achou deste post. Sua opinião é importante!