04 fevereiro 2015

#umlookpordianacasa e uma reflexão sobre o guarda-roupa

Comecei o ano me desafiando a postar looks diários no mês de janeiro. Fui postando tudo no IG da Casa (@casadepaete - segue láaaa e confere a tag #umlookpordianacasa) e os looks mais bacanas vieram pro blog com cada detalhe fotografadinho bem lindo. :) Esse foi um exercício que eu P R E C I S A V A fazer. Primeiro, porque eu sei que preciso repensar o jeito como vinha comprando minhas peças. Na verdade, isso já estava sendo analisado e colocado em prática, mas esse mês foi decisivo pra rever algumas coisas. O que eu quero evitar: a famosa frase "Eu não tenho roupa!", mesmo tendo um armário e algumas araras bem recheadas com peças, algumas que, inclusive, nunca foram usadas! Tenho várias peças nunca usadas e outras usadas só uma vez e esquecidas no limbo do closet. :P Quero mudar isso! E essa mudança só vem com uma boa olhada pra nós mesmas. Uma boa análise sobre o que realmente gostamos, que nem sempre confere com a modinha do momento ou a roupa incrível que fulaninha usou semana passada e a gente ficou louca pra ter igual. Nesse mês, eu entendi melhor como funciona a minha cabeça na hora de me vestir. E reparei em algumas coisas que preciso consertar pro meu guarda-roupa ficar funcional, será que alguém vai se identificar?!

1. Reparei que sempre me apaixono por shorts, saias, calças - peças de baixo. Muitos estão bem esquecidos no guarda-roupa. Por outro lado, tenho dificuldade em comprar blusas e tops importantes. Fico achando que aquela camisa (ou camiseta, ou blusa) branca/preta vai ficar legal com tudo que eu compro pra parte de baixo do look. E aí a coisa vai ficando monótona.
2. Estampas são bem vindas, mas preciso evitar aquelas das modinhas do momento, a não ser que enxergue nelas um potencial de sobrevivência a longo prazo. (Estou agoniada olhando uma camisa com estampa quadriculada de bandeira de fórmula um que não sei onde estava a minha cabeça na hora em que comprei!)
3. Salto alto e fino não é pra mim, pelo menos não para o dia a dia. Fujo deles como o diabo da cruz, no entanto tenho vários no armário. É que este é o tipo de sapato que encanta a gente, né?! Que a gente olha e acha que não consegue viver sem. Daí usa uma vez e deixa de lado. É claro que tem eventos e situações que pedem esse tipo de sapato, mas eu não preciso ter 35 pares pra escolher entre eles. Sempre que possível, serei do salto grosso, espadrilhe ou anabela.
4. Rasteirinhas... não! Acho que tenho um probleminha com meus pés. Se não for uma rasteirinha incrível, eu não consigo usar. Este ano comprei uma com detalhe de folha de metal e tecido animal print que amei e usei bastante, mas todas as outras estão bem paradinhas. Sou do tênis, botas e do oxford, da turma dos sapatos de menino. Sapatilhas e rasteirinhas, bem menos daqui pra frente.
5. Mais fluidez. Reparei que me sinto muito bem com calça pantalona, vestido longo, saia longa, batas. Amo peças mais soltinhas do corpo.
6. Jeans de cintura alta e flare são meus preferidíssimos.
7. Preciso me entender com meus acessórios. Tenho muitos, mas percebi que tenho uma certa dificuldade de coordená-los com minhas roupas. É que tenho um estilo meio indefinido, muito misturado. Gosto de mixar peças e ver no que dá. E acabo me perdendo na hora de compor com acessórios. Quero melhorar nisso!
8. Preciso deixa de ser pão dura e investir numa boa bolsa! ahahahaha
9. Meus shorts preferidos continuam curtos, mais as saias cresceram o comprimento. Mais saias midi e lápis, por favor.
10. Tem coisas que, não adianta, não vão mais sair do armário. Entre elas, peças novinhas. Preciso resolver o que fazer com elas. Por isso, eu criei uma lojinha de enjoos na Enjoei (confira aqui) pra colocar as peças que ainda estão batendo um bolão. Em breve, vou colocar mais peças por lá. Esse vai ser o meu crédito roupa nova. E outras vão pra doação. Assim vou ter mais espaço e conseguir organizar melhor o meu armário e me achar melhor nesse exercício diário de me vestir.



É claro que algumas dessas resoluções tem muito a ver com o senso de estética atual, mas sei que estou no caminho certo pra me encontrar e errar cada vez menos na hora de comprar roupa nova. Assim salvo meu rico dinheirinho, viro uma consumidora consciente e vou me reconhecer cada vez melhor diante do espelho.

1 comentários:

  1. Aiiii Márcia eu tenho esse problema também, com uma diferença, não compro bolsas de má qualidade só pq achei linda e ta na moda, percebi que perdia dinheiro e só ficava com o produto no máximo por seis meses. Estou numa fase terrível de comprar sandalias de salto fino e tenho muitas peças que só usei uma única vez, por isso mesmo estava acompanhando seus posts para me inspirar e usar tudooooo!! Bjs querida.

    ResponderExcluir

Quero saber o que você achou deste post. Sua opinião é importante!