18 julho 2014

7list: transição capilar sem (muito) sofrimento

Já tinha confessado aqui no blog que sou dependente química. Calma, dependente de química pra cabelo! :P Uso tratamentos de alisamento há 17 anos. (Pronto, sou uma velha! :D) e decidi parar. Basicamente três motivos me levaram a repensar o uso de químicas de alisamento: - O primeiro e o mais importante: em breve vou ter bebê. E comecei a perceber que eu enxergava o meu cabelo natural como um defeito a ser corrigido de três em três meses. Muito provavelmente meu bebezinho vai herdar as características do meu cabelo e eu não consigo conceber a ideia de achar que isso é um defeito nele. Portanto, preciso viver meu cabelo natural - que eu nem lembro como era. Amá-lo, pra ensinar o meu baby a se amar também. - O segundo: cansei de ser escrava do secador. Sem mais. - E o terceiro: descobri que existe um mundo de informações a respeito de como tratar direitinho o meu cabelo a um click e isso me motiva muito todos os dias. Já estou há um ano sem química. E decidi ir cortando o cabelo alisado aos poucos, até o cabelo natural chegar a um tamanho que eu me sinta segura, bonita e feliz para usá-lo. Não tenho coragem (ainda!) para o big chop (o grande corte – tirar tudo de alisado), embora entenda que este talvez seja o melhor caminho para fazer o cacheado crescer bem saudável. Mas decidi ir com calma. Afinal, foram 17 anos de secador, um a mais não vai fazer tanta diferença! Para quem está nesse caminho, listei sete dicas essenciais para passar por esta etapa de beleza sem (tanto) sofrimento. 1. Tenha paciência: Lidar com as duas texturas do cabelo não é fácil mesmo, mas pra tudo tem truque e jeito – com o tempo você vai se achar.
2. Aceite-se: Apesar de ter trabalho dobrado com o cabelo, estou amando ver o meu cabelo natural crescendo e tomando forma. Já tiveram momentos em que pensei em desistir e alisar de uma vez novamente, mas não quero fazer isso até tentar o meu natural.
3. Leia muito, leia tudo: Procure entender melhor porque a gente foi tão condicionada a alisar o cabelo por um padrão estético imposto por revistas e televisão. Procure separar na sua cabeça se você alisa o cabelo porque realmente acha mais bonito ou se só quer "caber" melhor e mais "adequadamente" no seu círculo social. Procure entender também como funciona a estrutura do seu cabelo, ver quais tipos de cosméticos são mais indicados pra você e, principalmente, quais deve evitar.
4. Procure grupos: Nas redes sociais, tem um montão de grupos com meninas que trocam experiências sobre seus cabelos. É muito bom ficar de olho, para se sentir motivado e para pegar informações sobre produtos e tratamentos. Procure no Facebook: Cacheadas RO; Cacheadas em transição; Cacheadas e crespas. São grupos fechados, bata à porta que as mediadoras vão abri-las pra você.
5. Procure divas: Fique de olho em atrizes, blogueiras ou até meninas comuns que têm o cabelo parecido com o seu natural. Guarde fotos e inspirações de penteados. Motive a sua imagem futura!
6. Crie uma rotina: Não se preocupe em deixar o cabelo bonito pra agora e sim em deixá-lo bonito lá no futuro. Pra isso, crie uma rotina de nutrição, hidratação e reconstrução. Marque na agenda o dia e a hora do cuidado com o seu cabelo e não abra mão disso. Seu cabelo precisa estar muito forte e saudável para passar por todo esse processo.
7. Não peça opinião: Se você está convicta de que quer usar o cabelo natural, não peça opinião aos amigos, à família ou ao namorado. O risco de você ouvir coisas do tipo: "Só pode ser doida." "Mas seu cabelo não vai ficar armado não, né?" "Ah! Acho bonito é cabelo liso, que tem balanço." "Ave, cabelo ruim!" É grande e, vamos combinar, muito desmotivador. Tenha certeza do que quer e siga em frente.

“Nada torna uma mulher mais bonita do que a própria crença de ser bonita”, Sophia Loren. Acredita, bonita!

Bjinhos,

MP

0 comentários:

Postar um comentário

Quero saber o que você achou deste post. Sua opinião é importante!